Gengivite !!!

o-FELICIDADE-facebook

DOENÇA PERIODONTAL

 Definição:

A gengivite é a inflamação da margem gengival que pode progredir e afetar os ossos que permeiam e suportam os dentes. As três etapas de gengivite – da menos severa até a mais severa – são: gengivite, periodontite e periodontite avançada.

Sinais e sintomas

A gengivite pode não apresentar dor, então é importante ficar atento a qualquer um dos sintomas a seguir:

  • Gengiva inchada, vermelha, sensível ou com sangramento
  • Gengiva que recua ou se afasta do dente
  • Mau hálito persistente ou gosto ruim na boca
  • Dentes soltos
  • Pus visível em torno dos dentes e gengiva

Formas de prevenção para GENGIVITE :

  • Escovar os dentes e passar o fio dental de forma adequada
  • Utilização de cremes dentais e enxaguante bucal com agentes antimicrobianos para eliminação de bactérias
  • Visitas regulares ao dentista para limpezas e exames

Fonte: http://www.colgate.com.br/

Anúncios

A importância da Odontologia do Esporte !!!

Os esportistas exigem muito do seu físico e por isto devem ter maiores cuidados com sua saúde e a saúde bucal não pode ficar fora deste conjunto.

É uma área de atuação da Odontologia ligada à Educação Física que se propõe a oferecer aos atletas, profissionais ou não, cirurgiões dentistas com uma visão esportiva a fim de melhorar os seus rendimentos através da manutenção da saúde oral e prevenindo e/ou tratando possíveis lesões decorrentes das atividades esportivas.

Quem pratica esportes deve ter condições físicas adequadas para competir sem riscos ou diminuição do rendimento físico.

Entre outros objetivos da Odontologia Desportiva está garantir uma excelente saúde bucal ao desportista, detectando fatores prejudiciais a ele, como: respiração bucal, posicionamento dos dentes inadequados e administração de medicamentos com substâncias que possam causar doping positivo.

O rendimento de um atleta pode diminuir por vários motivos, entre outros, estão:
Má oclusão – o que gera problemas de mastigação, podendo prejudicar a absorção dos nutrientes, assim como pode provocar desequilíbrios musculares e problemas na articulação têmporo-mandibular.

Dor e desconforto – que são suficientes para prejudicar o desempenho e a concentração. Uma simples dor de dente pode fazer a diferença em um prova decisiva.

Foco infeccioso na boca – o que representa o comprometimento da saúde dos dentes (um canal aberto significa 17% de queda no condicionamento) e/ou no periodonto (gengiva e tecidos de sustentação) e de outros órgãos do corpo, espalhando-se através da corrente sanguínea, provocando risco para o coração, lesões nas articulações e dificuldade de recuperação em lesões musculares.

Respiração bucal – o que representa um atleta que pode ter um rendimento físico 21% menor se comparado com um que respira pelo nariz.

Hábitos viciosos (roer unhas, ranger dentes) – abrasão e desequilíbrio.
Geralmente os atletas (profissionais ou amadores) são tratados de forma convencional, o que é um equívoco, porque o tratamento de um esportista, principalmente aquele que compete deve ser diferenciado de uma pessoa comum. Como exemplo: as restaurações devem ser analisadas e substituídas por material metálico ou resinoso segundo o impacto que determinado esporte pode ocasionar.

Estes profissionais buscam prevenir as fraturas dos ossos da face e dos dentes, bem como lesões de língua, lábios e bochechas e avulsões (arrancamentos).

Os traumas esportivos mais comuns são: fraturas de coroas em vários níveis, com ou sem comprometimento pulpar, lesões de tecidos moles e de tecidos de sustentação como concussão, subluxação extrusiva, luxação lateral, luxação intrusiva e avulsão.

Esportes radicais (mountain bike, moto-cross, hockey inline, patins inline, skate, etc), artes marciais (judô, jiu-jitsu, katatê), lutas (greco-romana, sumô) e esportes de quadra (voleibol, handebol, futebol de salão, etc), são os que mais expõe os atletas a fraturas dentais.

Os protetores funcionam como almofadas distribuindo as forças durante o golpe, prevenindo o impacto e protegendo as estruturas dentais e periodontais. O mesmo diminui em até 80 % o risco de trauma dental. Cada desportista envolvido em um esporte de contato tem 10% de chance de desenvolver um acidente dental ou oral, sem o uso do protetor bucal personalizado e o risco de sofrer um ferimento nos dentes aumenta mais de 60 vezes.

Sendo bem adaptado o protetor bucal não atrapalha a respiração do atleta, possibilitando uma fala fácil e a ingestão de líquidos sem que precise tirá-lo da boca.

Existem protetores bucais e placas de mordida que variam conforme o tipo de esporte. Eles são encontrados em lojas de materiais esportivos ou ainda melhores, podem ser confeccionados em consultório pelo cirurgião dentista de acordo com a necessidade de proteção do atleta.

É importante conscientizar o atleta que o uso do protetor bucal deve ser durante os treinamentos e competições e alertá-lo que haverá uma fase inicial onde seu rendimento poderá diminuir, mas que após a adaptação ele estará protegido e com seu desempenho normal.

Concluindo o trabalho do dentista na Odontologia Desportiva se faz no:
Diagnóstico em saúde oral (exame clínico, anamnese, exames complementares) na busca de focos de infecçoões bucais (dentárias ou periodontais – que podem vir a diminuir a resistência do atleta); desordens musculares; diagnóstico de lesões bucais; identificar maloclusões; hábitos viciosos; promover a melhoria estética e auto-estima; etc.

Atendimento emergencial, na busca de realizar intervenções imediatas a problemas de origem traumática.

Atendimento preventivo, na busca de prevenir acidentes, desordens ou problemas bucais; educação de técnicas adequadas de escovação; indicação de controle do consumo de alimentos cariogênicos; aplicação de fluorterapia e outros métodos preventivos e promover o estímulo para a realização do auto-exame na busca pela prevenção do câncer bucal.
Fonte: http://www.saudetotal.com.br/

Protetor bucal para seu esporte !!!

maxresdefault

Os protetores bucais são feitos de material plástico flexível ou material laminado que protege os dentes, lábios, bochechas e língua. É muito importante que as crianças e adultos que praticam esportes usem protetores bucais.

Tipos de protetores bucais:

Existem quatro tipos de protetores bucais usados por crianças e adultos nas atividades esportivas:

  • Protetores comuns:Podem ser usados sem qualquer preparação. São vendidos feitos nos tamanhos pequeno, médio e grande em lojas de artigos esportivos. Em geral, deterioram-se rapidamente e precisam ser substituídos durante a temporada de esportes.
  • Protetores moldáveis em água quente:São aplicados aos dentes por pressão depois de serem fervidos em água durante um certo período de tempo. São encontrados em lojas de artigos esportivos. Tendem a deteriorar-se rapidamente e precisam ser substituídos durante a temporada de esportes.
  • Protetores feitos sob medida: Esta opção pode ser oferecida aos pacientes pelo dentista. Ele faz um molde dos dentes do paciente e o protetor é fabricado a partir do molde. Este tipo de protetor bucal cobre todos os dentes e pode ser mais caro do que os protetores comuns ou moldáveis em água quente.
  • Protetores laminados por pressão: Este tipo de protetor pode oferecer benefícios na proteção bucal. São mais espessos e protegem contra lesão e concussão dentária. Podem ser ajustados e personalizados pelo dentista e são mais caros do que os protetores feitos sob medida

Converse com seu dentista a respeito dos protetores bucais e da eficácia de cada tipo na redução dos traumatismos. Se você for um atleta, considere a opção dos protetores sob medida ou laminados por pressão, feitos exclusivamente para você.
Fonte: Colgate

Lente de contato dental para um sorriso de estrela !

 20140206-0930041

A odontologia estética tem como objetivo fundamental transformar o sorriso, levando harmonia para o rosto e sobressaindo a beleza natural de cada um. Por esse motivo, o espaço odontológico investe em odontologia estética para levar o que há de melhor e mais moderno aos seus pacientes, pois acredita que investir no sorriso é investir em saúde e bem estar.

As lentes de contato têm sido a grande procura do momento, inclusive, por muitos famosos da TV e do cinema. Essa técnica tem como objetivo corrigir defeitos e melhorar a forma e a cor dos dentes. O famoso “sorriso de estrela” agora também pode ser seu.

A técnica é indicada para pacientes com dentes fraturados, escurecidos, levemente desalinhados, dentes anteriores com defeitos no esmalte e superfície danificada por fraturas, fissuras (rachados) ou simplesmente por quem quer um sorriso mais harmonioso.

O procedimento para colocá-las é simples e eficaz. Quando o caso permite, são feitos desgastes mínimos na superfície dental. É o novo conceito de “odontologia minimamente invasiva”, onde técnicas e materiais odontológicos convergem para a máxima conservação da estrutura dentária. Uma vez provadas e aprovadas, as lentes são aderidas aos dentes por meio de um processo de adesão química de última geração em que a porcelana se fixa ao dente de forma muito segura.

O estudo prévio do novo sorriso é uma etapa muito importante. Pode -se usar o DSD (Desenho Digital do Sorriso) para planejar virtualmente o sorriso. É importante prever se existem limitações ou se outra técnica mais adequada para o caso.

Rapidez no resultado, excelente mimetização dos dentes naturais, desgastes minimamente invasivos e maior resistência das porcelanas são apenas algumas das vantagens dessa técnica, que proporciona soluções estéticas conservadoras nunca antes possíveis.

Após colocar as lentes, recomenda-se cuidado para não morder substâncias duras como gelo, unha e frutas com caroço. A manutenção é feita normalmente no próprio consultório, nas consultas de rotina. O ideal é uma revisão periódica no dentista a cada seis meses.