Bochechos de água oxigenada são carcinogênicos, e indicados livremente na internet! Ou Clareadores dentários são medicamentos, e não cosméticos!

O uso do peróxido de hidrogênio ou água oxigenada na boca, objetivando-se a clareação dentária, deve ser feito diretamente pelo profissional da Odontologia treinado para proteger a mucosa bucal, e outras, do contato. O tempo e a forma de uso requerem cuidados para proteger ou diminuir ao mínimo os efeitos indesejáveis sobre os tecidos

dentários. Na internet vários sites ensinam, passo a passo, como adquirir e preparar água oxigenada para fazer bochechos com a finalidade antisséptica e, ao mesmo tempo, para limpar e clarear os dentes. Alguns sites se referem ao profissional da Odontologia como um “explorador”, por não ensinar isso ao paciente unicamente visando obter lucros financeiros. Nesse artigo, procuraremos informar e dar fundamentos para que os profissionais da Odontologia e auxiliares possam embasar suas reflexões, opiniões e condutas relacionadas ao tema “uso indiscriminado e livre de peróxido de hidrogênio na boca, sobre os dentes e mucosa bucal”. Os sites,blogs e perfis em redes sociais que estão indicando isso deveriam ser acionados imediatamente pelas autoridades públicas! Deveriam ser notificados judicialmente pelos crimes que estão cometendo contra a saúde das pessoas, abusando da fé pública.

À medida que os dentes são preservados em sua integridade, como resultado da prevenção da cárie e da doença periodontal, ambas relacionadas à placa dentobacteriana, maior será a sutileza ou delicadeza das preocupações dos pacientes.

A cor e a forma dos dentes passam a ser preocupações predominantes, assim como sua posição na arcada dentária e a harmonia com o sorriso, a simetria, lamelas, pequenas fraturas e as perdas de estrutura por atrição, abrasão, abfração e erosão. A estética está cada vez mais valorizada e cada detalhe representa um diferencial no mundo competitivo. Os procedimentos e os produtos estéticos são muitos e extremamente divulgados, aplicados e negociados.

Os produtos, para serem considerados cosméticos, não são tratamentos e não podem alterar a fisiologia corporal. Os clareadores não deveriam ser comercializados como cosméticos, pois alteram a fisiologia de onde se propõem a atuar, como o esmalte, dentina, polpa, gengiva e mucosa bucal. O uso de gel clareador sem acompanhamento pode causar hipersensibilidade e manchas nos dentes

Várias entidades de Odontologia, em reunião com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), solicitaram levar à consulta pública a proposta de criação de uma resolução para regular a comercialização de agentes clareadores, para que passem a ser vendidos somente com apresentação de receita, visto que os agentes clareadores não se encaixam na classificação de cosméticos: são, verdadeiramente, medicamentos. As entidades referidas são Conselho Regional de Odontologia de São Paulo; Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD Central); representantes da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios e da indústria odontológica produtora de clareadores.

As mudanças propostas envolvem regulamentar e adotar critérios para embalagem, rotulagem, dispensa e controle de agentes clareadores dentários classificados como dispositivos médicos. Poderão ser vendidos somente mediante prescrição emitida por cirurgião-dentista e sob sua supervisão, com obrigação de retenção de receita, como acontece com os antibióticos. A utilização dos clareadores na categoria de dispositivos médicos leva-os, na embalagem do produto, a apresentar a tarja vermelha. A resolução inclui a comercialização das tiras e o uso de produtos ou agentes clareadores de forma que o produto possa ser adquirido apenas em farmácias, ou pela web, com receita.

Fonte : Dental Press

Anúncios